ESCRITÓRIOS DA SIBS, LISBOA  (2007/2009)

 

Num edifício fruto duma displicência técnica, que o deixou sem uma estrutura resistente capaz e sem um sistema infra-estrutural delineado, a proposta apresentada a concurso redesenhava todo o sistema funcional e espacial do edifício integrando num único desenho todos os fluxos que a complexidade programática requeria. As infra-estruturas tiveram um grande peso e foram os grandes geradores do projecto permitindo que o trabalho multi-disciplinar se transformasse num projecto integrado.

JIP JARDIM DE INFÂNCIA POPULAR, CACÉM

  (2002/2006)

MENÇÃO ESPECIAL FASSA BARTOLO, PRÉMIO INTERNACIONAL DE ARQUITETURA SUSTENTÁVEL  3a ed. 2006

RECOMENDADO fPARA O “4th Compendium of Exemplary Educational Facilities” da OECD, 2010

O convite para o concurso para o projecto de um edifício de re-alojamento para um Jardim de infância num lote no novo plano de pormenor do Cacém foi a oportunidade de reflectir sobre as características relacionais de um edifício público com a envolvente áspera de uma zona sub-urbana e ao mesmo tempo trabalhar e ensaiar conceitos de bioclimatica integrados num projecto multidisciplinar de espaço público.

ARMAZÉM DE PRODUÇÃO, SIBS CARTÕES, SUL PORTUGAL (2009/2010)

​

O projeto foca o desenho organizativo de um armazem de alta segurança, num edifício pre-existente.

PONTE PEDONAL, LISBOA

CONCURSO EXPERIMENTA DESIGN 09

​

​

REVITALIZAÇÃO DA PRAÇA DA LIBERDADE EM DURRES, ALBANIA

CONCURSO INTERNACIONAL 2008

​

O primeiro impacto (por vezes o mais denso, por ser mais inocente), a uma escala maior, é a forma como a praça Iliria polariza todo o tecido urbano e esquema de circulação. Como um corpo, quase como uma forma orgânica, com braços que se estendem a toda a cidade. A sua posição, a sua geometria, tudo isso é o resultado de séculos de desenvolvimento (urbano, político, social e cultural), e mostram-nos a importância do local.

​

PAVILHÃO DE PORTUGAL PARA A EXPO ZARAGOZA 2008

CONCURSO POR CONVITE

​

O conceito geral deste espaço expositivo é conduzir o visitante através de um percurso sinuoso, com a metáfora de um canal escavado pela água, dinâmico e leve. Proporcionar assim um espaço sugestivo, poisado na água, quase uma linha do tempo, uma ponte entre realidades ou mesmo um leito de rio subterrâneo. O percurso no interior deste espaço é regrado pelo suporte aos conteúdos expositivos, que modelando-se ao espaço construído conduz o visitante através das três temáticas/espaços: território; emoção; utopia.

RECONVERSÃO URBANA - ÁREA INDUSTRIAL DA EX. F.V., MARGHERA. CONCURSO INTERNACIONAL POR CONVITE, 2007

​

A proposta nasce da junção de duas vontades principais, aparentemente em conflito e opostas. Construir novos edifícios e espaços públicos mantendo ao mesmo tempo a beleza brutalista presente nesta área de cariz pós-industrial. 

MEMORIAL PARA AS VÍTIMAS DO TSUNAMI.

CONCURSO INTERNACIONAL, NORUEGA,  2006.

​

O projeto baseia-se, a partir de experiências sensoriais, na vontade de transmissão da magnitude emocional que este evento pode causar, mantendo simultaneamente uma sensação de segurança.  A partir da linha da costa, o monumento nasce cristalizando-se numa “onda”. Ambas as sensações de impotência perante a natureza e esperança, encontram lugar neste espaço, permitindo ao visitante ser permeado por estas, refletindo sobre a relação entre homem e natureza.